quarta-feira, 14 de setembro de 2011

TREVO: sorte, misticismo, e outras curiosidades.

Como vocês, meus caros leitores, já perceberam, em cada experiência de trabalho algo me chama a atenção, e lá vai eu pesquisar e dividir com vocês meus conhecimentos, anseios, revoltas, incentivos, etc... Enfim, como disse à uma querida pessoa que se declarou minha leitora, tenho necessidade de compartilhar meus pensamentos com o mundo. Se for útil a alguém, nem que seja a apenas uma pessoa, já foi válido.
Pra mim, escrever este blog é muito enriquecedor. Ele faz com que eu busque a pesquisa, o conhecimento, e, como eu sempre digo, eu sou uma pessoa em construção, que muito sabe da vida, tanto sei que nada sei...

Bom, vamos ao título.


Fiz uma manutenção de um jardim graciosíssimo esses dias, e palmas para a proprietária do jardim. Ela faz questão que as ervas daninhas do seu gramado sejam tiradas manualmente, sem adição de produtos químicos. Digna.
Confesso que o trabalho exigiu certa paciência, mas muita gratificação. É bom saber que você não está arriscando contaminar um lençol freático.
E dentre várias ervas "daninhas" (coloco o termo daninha entre aspas pois acho que toda planta tem seu lugar na natureza, e nada pode ser danoso só pelo fato de nascer) encontrei vários trevos à serem retirados.
Primeiro que retirar os trevos não é algo tão simples como puxa-los. Deve com um inço (ferramenta para arrancar raízes) reitrar o bulbo (uma batatinha) que fica no fundo da terra donde nascem os trevos. UM POR UM. Mas também não foi nenhum esforço sobre-humano, em 4 horas o gramado estava livre das plantinhas "daninhas".
Voltei pra casa, sempre com um questionamento na mente né. Porque tirar os trevos, eles são tão bonitinhos, e até dão flores?
A verdade é que, sim, os trevos são ervas "daninhas" que concorrem com a grama pela matéria orgânica, podendo deixar o gramado com falhas, matando a grama em volta, e deixando-a disforme. Mas se for tirá-los faça-os manualmente, o planeta já tem problemas ambientais demais e um pequeno gesto tem grandes resultados. Se o gramado for enorme e em último caso seja necessário a aplicação de produtos químicos, o ideal é o uso de uma solução de 2,4 D, ou seja, um fitorregulador que faz a erva "daninha" morrer sem que a grama seja afetada. Se você, leitor, aderir para esse método, por favor, procure alguém especializado, que saiba manipular o produto, fazendo as diluições corretas para que os danos naturais sejam mínimos possíveis!

Aqui em casa, plantei em um vaso uma agave, e a terra com que preenchi o vaso estava repleta de sementes de trevo. Resultado, o vaso está repleto de trevos. E deu flores, à qual eu tenho uma foto (ebaaa)

 Tá vendo, parece o chapeuzinho da Sininho, do Peter Pan. Não vou tirar os trevos do vaso, vou replantar a agave em outro lugar.

(Clientes: Fiquem tranquilos, se for de sua vontade retirar os trevos eu os farei com maior prazer, aliás reitarei completamente, assim posso plantar em outro lugar.)

Agora vamos para a melhor parte, acredito eu, que são as curiosidades. Confesso que fiquei encantado com o mundo dos Trevos.

Existem quatro espécies de trevos:

  • Trifolium subterraneum - Trevo Subterrâneo
  • Trifolium incarnatum - Trevo Encarnado
  • Trifolim Alexandrinum - Bersim
  • Trifolium repens - Trevo branco


Não ficarei aqui, caros leitores, descrevendo cientificamente cada um, mesmo porque nao sou nenhum expert, nem tenho formação no assunto.



Acho que todos estão se perguntando, mas e o trevo de 4 folhas? (quando eu escrevo "todos" eu imagino que estou escrevendo uma crônica na "Folha de São Paulo", rsrsrs)

O Trevo de quatro folhas é uma anomalia genética que raramente é encontrado entre os trevos de três folhas. Lógico que os botânicos já identificaram essa anomalia e criaram uma espécie que só produz trevos de 4 folhas, mas aí perde todo o sentido da sorte. (eu acho)

Portanto, quando você encontra um trevo de quarto folhas, é sinal de boa sorte, indicação de realizações pessoais e prosperidade. Mas para isso você deve presentear alguém com esse trevo, ou seja, não seja egoísta de guardar o trevo apenas para você, e este alguém presenteado deve fazer o mesmo com três (trevo) pessoas, ficando o trevo com a terceira pessoa.

Porque três pessoas?

Porque três é a Trindade;
Três é a continuação da vida: Homem, mulher, filho (trio);
Três é o primeiro número perfeito, e tem grande significação "espiritual" formando o triângulo.
E o mais interessante de tudo que pesquisei, o número 3, seus múltiplos e submúltiplos é muito citado na Bíblia e está associado ao nome e história de JESUS. Vejam bem:

  • Foram TRÊS Reis Magos que levaram presentes à JESUS em seu nascimento;
  • JESUS viveu em Nazaré, e o valor numerológico da cidade é 21, que se reduz à TRÊS;
  • Quando JESUS se perdeu da caravana de seus pais, e ficou no templo falando aos rabinos, sua idade era 12 anos, que reduzindo: TRÊS.
  • JESUS passou 18 anos se preparando para sua missão, que reduzindo da 9, múltiplo de TRÊS;
  • JESUS iniciou sua pregação aos 30 anos, TRÊS;
  • ELE também teve 12 discípulos, reduzindo: TRÊS;
  • No Atos dos Apóstolos JESUS é chamado de JUSTO TRÊS vezes;
  • Judas traiu JESUS por 30 moedas;
  • ... e disse JESUS a Pedro: "antes que o galo cante, me negarás TRÊS vezes"
  • JESUS foi crucificado com dois ladrões, somando o total de TRÊS pessoas;
  • JESUS foi pregado na cruz na TERCEIRA hora, e essa cruz foi erguida no monte Cálvário, cuja soma das letras dá 24, reduzindo-se a 6, múltiplo de TRÊS;
  • após JESUS ser crucificado "houve TREVAS sobre a terra desde a TERCEIRA hora até a NONA"
  • JESUS "morreu" na NONA hora e ressuscitou ao TERCEIRO dia;
  • E quantos anos ele viveu? TRINTA E TRÊS.
Gostaria de deixar claro que essas informações foram obtidas em pesquisas; não sou numerólogo e até questiono algumas citações, mas estamos falando de trevos, superstições então me valho de uma variação de "licença poética", a licença "Bloguética".

Mas enfim, é muita coincidência né, acredito que algum supersticioso que ler isso, em vez de tirar os trevos do gramado, vai tirar o gramado dos trevos.
Voltando ao Trevo de 4 folhas, diz-se que cada folha tem um significado sendo: ESPERANÇA - FÉ - AMOR - SORTE. Bom, eu particularmente não preciso de um trevo de 4 folhas para obter esses significados em minha vida, caso contrário, se algum deles me faltasse, não estaria aqui, com esse ótimo humor escrevendo para vocês, nem sei se existiria.

Então, pense com mais carinho nos trevos!!! 
Ah, e eles têm também propriedades medicinais, mas isso fica para outra postagem que direcionarei apenas para esse assunto.

Obrigado pela atenção de todos, meus leitores queridos... É um imenso prazer saber que tenho pessoas admiráveis como leitores, e são vocês que me impulsionam a escrever sempre mais.

Um beijo no coração de todos





4 comentários:

Juni Biscuit disse...

Olá, adorei seu blog! Parabéns, eu amo plantas, tenho muitas e adoro cuidar delas!
Desculpe na demora em retornar seu comentário, é que estava viajando.
Vi que já postou sobre os trevos e, talvez, por eu não ter retornado, não postou a poesia! Pena, poderia ter postado sim, e a poesia nem é minha cviu, achei na net há alguns anos e nem lembro onde, por isso também não coloquei os créditos no meu blog. Enfim, se quiser, pode postar!
Estou seguindo seu blog, pois tudo que diz respeito às plantas, me interessa.
Sobre a cidreira, eu sabia das diferenças entre elas, tenho das duas plantadas no rancho e também adoro o chá delas, mas nunca as misturei!
Bem, parabéns novamente. Abraços.

Dri disse...

Poxa, teus posts são muito legais!! Parabéns!

Vitória Rio disse...

Eu tenho um pé de trevo de 4 folhas, eu achei na rua e trouxe pra casa, plantei no vaso pqe e ta tão bonitinho... Eu vim pesquisar se da flores, gostei doq li. abraço.

Anônimo disse...

Tenho um "PÉ" de trevo de 4 folhas com mais de 12 anos,já doei , replantei, e ele brota.... brota.... brota.... cada vez melhor, com suas folhinhas maiores, flores rosas, lindas. é uma abundância viu. Adorei a história que colocou sobre o trevo, eu não conhecia, achei linda. Parabéns pelo seu trabalho, aprendo muito. Bjs.